“A PUC-Campinas desenvolve competências e promove reflexões que contrapõem os valores do pragmatismo e consumismo”, afirma Vice-Reitor

 

Da Redação

O Colóquio A identidade da Universidade Católica: em comemoração aos 25 anos da Constituição Apostólica “Ex Corde Ecclesiae” foi a primeira atividade promovida pelo Núcleo de Fé e Cultura da PUC-Campinas, coordenado pelo Vice-Reitor Prof. Dr. Germano Rigacci Jr., que recebeu o Jornal da PUC-Campinas para analisar a atuação do Núcleo e as lições deixadas pelas discussões e reflexões realizadas durante o evento.

Integrantes do Núcleo de Fé e Cultura da PUC-Campinas com o Cardeal Zenon Grocholewski/ Crédito: Álvaro Jr.
Integrantes do Núcleo de Fé e Cultura da PUC-Campinas com o Cardeal Zenon Grocholewski/ Crédito: Álvaro Jr.

Jornal da PUC-Campinas – Quando o estudante escolhe para sua formação uma instituição católica, em que ela poderá contribuir para seu crescimento como cidadão?

Prof. Dr. Germano Rigacci Jr. – A Pontifícia Universidade Católica de Campinas é uma instituição educacional, de natureza confessional católica, fundada em 1941 por Dom Francisco de Campos Barreto, instituída canonicamente, em 1956, pela Santa Sé Universidade Católica de Campinas e, em 1972, Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Ao longo destes 74 anos, a Universidade tem se destacado na graduação de 160 mil alunos, que durante o período de formação na Instituição, desenvolvem competências técnico-científicas, aprimoram os valores ético-cristãos, e com isso, estão aptos a promover atitudes e reflexões que contrapõem os valores que norteiam a sociedade contemporânea, marcada pelo pragmatismo e consumismo.

A PUC-Campinas promove e cultiva, por meio do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, todas as formas de conhecimento, produzindo-as, sistematizando-as e difundindo-as, sempre comprometida com a ética e a solidariedade que priorizam a dignidade da vida.

Jornal da PUC-Campinas – Qual a contribuição que o Colóquio “A identidade da Universidade Católica” trouxe para a comunidade acadêmica?

Prof. Dr. Germano Rigacci Jr. – O Colóquio proporcionou à comunidade acadêmica um momento de grande reflexão sobre a identidade católica, a partir da “Ex Corde Ecclesiae”, considerada a carta magna para a condução, através de normas gerais, da atuação das Universidades Católicas, principalmente no diálogo entre fé, ciência e cultura.

Os temas abordados visaram discutir as questões que envolvem o Ensino e a Pesquisa articulados à ética cristã. Por meio das conferências ministradas por sua Eminência Reverendíssima Cardeal Zenon Grocholewski e das exposições feitas por professores nas mesas redondas, os participantes puderam aprofundar a reflexão  sobre a identidade católica da universidade  e a importância da Filosofia e da Teologia para a formação dos nossos estudantes como pessoas humanas.

Como ressaltou o Cardeal Grocholewski em uma de suas apresentações: “A Teologia e a Filosofia ensinadas devem ser aquelas que procuram a integridade do saber, que fomentam o diálogo entre fé e razão, que exijam a promoção da pessoa humana mediante uma preocupação ética e que defendam a perspectiva teológica de toda a realidade”.

Jornal da PUC-Campinas – Quais as expectativas sobre o Núcleo de Fé e Cultura da Universidade?

Prof. Dr. Germano Rigacci Jr. – O Núcleo de Fé e Cultura da PUC-Campinas, junto com a Comunidade Universitária, a partir do Colóquio, possui o compromisso ainda maior de fomentar o diálogo da fé cristã com a cultura em suas diversas dimensões, repercutindo nas atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade. Devemos contribuir com a formação integral dos estudantes, na boa convivência da comunidade universitária, no aperfeiçoamento da relação da PUC-Campinas com a sociedade e na orientação da Ciência a serviço da defesa e da promoção da vida.

(Com informações de Eduardo Vella)