Café Matemático

Projeto da PUC-Campinas quer integrar alunos e professores

Por Amanda Cotrim

Matemática pode ser uma atividade, aparentemente, solitária. Mas é apenas aparência, pelo menos na PUC-Campinas. Em 2015, foi dado o primeiro passo deste que promete ser mais um espaço de intercâmbio, pesquisa, aprendizado e convivência: o Café Matemático. Idealizado em 2014, o projeto tem como objetivo central “cultivar uma cultura acadêmica para além das atividades curriculares regulares”, adianta o Integrador Acadêmico da Faculdade de Matemática da Universidade,  Prof. Dr. Alex Shimabukuro.

 O Café Matemático é um momento de encontro, fora da sala de aula, onde alunos e professores se juntam para conversar sobre temas diversificados. “Muitos estudantes não procuram ou fomentam atividades acadêmicas por desconhecerem, não terem vivenciado ainda o ambiente universitário. Por isso, neste momento estamos auxiliando, mostrando possibilidades e, acima de tudo, experimentando juntos o prazer do convívio acadêmico”, destaca Shimabukuro.

: Café Matemático é um momento de encontro fora da sala de aula/ Crédito: Divulgação
: Café Matemático é um momento de encontro fora da sala de aula/ Crédito: Divulgação

O projeto teve inicio em abril de 2015, e já contou com a exibição de filmes- com temática científica- acompanhados de debates. “Não ficamos apenas no filme, mas no que ele sugere. No “café matemático” em que falamos sobre Alan Turing, discutimos sobre preconceito, sobre a Academia, e o mais importante…. conversamos. Um aluno tocou violão e cantamos também”, conta o Integrador Acadêmico.

O projeto foi idealizado pela gestão da Faculdade de Matemática, da PUC-Campinas, para ser administrado em conjunto com o diretório acadêmico do curso. A escolha dos filmes, inicialmente, está se dando por afinidade com o projeto pedagógico do curso, o que não implica em assistir e discutir apenas filmes matemáticos, alerta Shimabukuro: “Como no filme de Turing existe a pessoa Turing, suas angustias, sua vida. O filme sobre Nash, Uma Mente Brilhante, é muito bom também neste sentido. Mas já selecionamos alguns outros que nos trazem temas fundamentais não apenas para o futuro professor, mas para o cidadão, a pessoa que anseia uma sociedade mais humana e humanitária, como, por exemplo, a série Decálogo que traz uma leitura atual sobre os dez mandamentos, colocando questionamentos filosóficos sobre temas que refletem a tensão dialética entre determinismo e crença, a relação entre fé e ciência e conflitos entre princípios éticos”, completa. Essa iniciativa, resume o docente, ressalta o alinhamento com as propostas do Núcleo de Fé e Cultura da PUC-Campinas.

Para acompanhar a Agenda do Café Matemático, acesse aqui.