Arquivo da categoria: jp177-2017

Ah, a primavera!

Por Silvia Perez

Em contagem regressiva para o início da estação mais colorida e cheirosa do ano, você já parou para reparar na beleza natural e nas espécies nativas ou exóticas que estão por perto? Pois é, caso a correria do dia a dia ainda não tenha lhe permitido observar ao redor, saiba que a Faculdade de Biologia da PUC-Campinas vai te dar uma mãozinha.

Um estudo orientado pela Profa. Dra. Rita de Cássia Violin Pietrobom revela que a diversidade de espécies no Campus é bastante alta. O trabalho focou nas espécies encontradas no estacionamento dos alunos do Campus II, onde há 96 árvores de 12 espécies diferentes, sendo algumas exóticas e outras nativas. De acordo com a docente, o estudo foi importante porque avaliou a saúde dessas árvores e a boa notícia é que elas não apresentam risco de queda.

Outro fator interessante que deve ser observado com atenção é a riqueza natural existente tanto nos Campi I e II da PUC-Campinas. No Campus II, por exemplo, existem áreas de preservação ambiental, inclusive com uma nascente, um viveiro de mudas nativas, além de um jardim experimental, que apresenta um canteiro para plantas medicinais e outro para plantas tóxicas.

A Profa. Dra. Rita de Cássia Violin Pietrobom chama a atenção para o fato de que a flora contribui para a fauna e vice-versa. “Plantas atraem pássaros que podem ser polinizadores ou dispersores de seus frutos, quanto maior a diversidade de plantas, maior a diversidade de aves”, explica.

Confira algumas das espécies encontradas no Campus II e como são popularmente conhecidas:

Ipê-amarelo: planta nativa – floresce uma vez por ano. As folhas caem antes da floração e as flores duram apenas quatro dias.

Esponja-de-garrafa-pendente: planta exótica.

Esponjinha: planta nativa – muito utilizada na ornamentação porque suas flores lembram pompons.

Pata-de-vaca: planta exótica – tem este nome porque as folhas tem o formato parecido com o da pata de uma vaca. Suas flores atraem beija-flores.

A palmeira – pode ser chamada de palmeira mesmo.

Coração-roxo: planta ornamental exótica – além de ser ornamental é uma planta bioindicadora, ou seja, pode ser usada no monitoramento da qualidade do ar.

 

Lírio-amarelo: planta exótica.

 

 

Dicas de Cinema

Por Armando Martinelli

Como Nossos Pais

Como Nossos Pais, último longa-metragem da diretora Laís Bodanzky (Bicho de sete cabeças, As melhores coisas do mundo) sagrou-se o grande vencedor do Festival de Gramado 2017, com seis premiações: Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Atriz (Maria Ribeiro), Melhor Ator (Paulo Vilhena), Melhor Atriz Coadjuvante (Clarisse Abujamra) e Melhor Montagem (Rodrigo Menecucci). Assim como em seus filmes anteriores, Laís Bodanzky mantém seu estilo afinado de planos de conjunto para filmar vários personagens, close-ups nos rostos, luz natural, pequenos diálogos para conduzir a trama. Dessa forma, ela consegue explorar a performance dos atores centrais, em especial, Maria Ribeiro, que interpreta Rosa, personagem principal do filme que sintetiza o drama vivido pelas mulheres que são mães e filhas ao mesmo tempo, com a sobrecarga de suas funções diárias, especialmente em uma sociedade que ainda é refém do modelo patriarcal. Em exibição no circuito comercial de cinema do país, Como Nossos Pais ainda conta com a participação especial do músico, compositor e escritor Jorge Mautner, no papel do pai de Rosa.

Confira o trailer do filme – https://www.youtube.com/watch?v=-_8t-3PG8Qk

FRIDA

Com o roteiro baseado fielmente no livro de Hayden Herrera, o filme Frida, (2002) sobre a vida da pintora mexicana Frida Kahlo, dirigido por Julie Taymor, perpassa a história da artista desde a sua adolescência até o ano de sua morte, com destaque para momentos fundamentais de sua vida, como o trágico acidente que lhe causou múltiplas fraturas; seu relacionamento com o pintor mexicano Diego Rivera; suas viagens pelo mundo; seu amor pelos animais; seus momentos boêmios e suas opções políticas. Com trilha sonora belíssima e fotografia primorosa, o filme também conta com ótimas atuações de Salma Hayek (Frida Kahlo) e Alfred Molina (Diego Rivera), sendo opção para os amantes da arte e todos interessados em conhecer a vida de uma mulher à frente do seu tempo.

O filme se encontra no catálogo do aplicativo Netflix

Confira o trailer _ https://www.youtube.com/watch?v=-CTM7FcY1LE