Arquivo da categoria: tome-ciencia

Autoconhecimento e métodos de estudo

Por Prof. Dra. Jussara Cristina Barbosa TortellaProfessora e pesquisadora titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da PUC-Campinas

O sucesso no Ensino Superior é influenciado pelas experiências que o aluno tem durante seu percurso escolar. Alguns alunos chegam à Universidade com uma gama de estratégias de aprendizagem e as adaptam ao novo contexto; outros, no entanto, ingressam nesse segmento com poucos recursos e com hábitos de estudo que nada contribuem às exigências universitárias. O que diferencia esses dois tipos de alunos? O uso de estratégias de aprendizagem adequadas a cada situação e também o engajamento nas mesmas, proveniente da compreensão da validade das novas aprendizagens.

Espera-se que os alunos do Ensino Superior atuem, perante as diferentes atividades que participam, de forma autônoma, crítica e que busquem constantemente e de forma motivada o sucesso acadêmico. Para tanto, necessitam construir um conjunto de competências e estratégias de aprendizagem que lhes permitam resolver os problemas apresentados desde o início até o final da conclusão do curso escolhido.

Geralmente, alguns alunos e até mesmo professores acreditam que as estratégias são inatas; por exemplo, quem tem um perfil de organização do tempo para as diferentes tarefas já nasce assim. No entanto, os estudos indicam que as estratégias são aprendidas e construídas em qualquer fase da vida.

Destaco aqui, pautada no marco teórico sociocognitivo, algumas estratégias e dicas que podem auxiliar os alunos universitários:

  1. estabelecimento de objetivos: definir para si próprio objetivos de aprendizagem ou para a execução de uma determinada tarefa a curto e longo prazo;
  2. organização e recuperação da informação aprendida: utilizar esquemas, formas diferentes de registrar os apontamentos, resumos, sumários;
  3. construção de um ambiente de trabalho que favoreça o rendimento acadêmico: selecionar um espaço físico adequado ao estudo; fazer uma lista de distratores que atrapalham a concentração e tentar destacar para cada um como combatê-los, encontrar formas de controle da ansiedade;
  4. gestão de tempo: organizar cronogramas para agendamento e visualização constante das tarefas; fazer uma lista de prioridades;
  5. procura de ajuda necessária: saber onde e a quem procurar quando os recursos pessoais não são suficientes para resolver o problema proposto;
  6. autoconhecimento: buscar constantemente aspectos que são fontes de sucesso nas aprendizagens e também aqueles que ainda precisam ser melhorados.

Uma boa dica é utilizar o livro: Cartas do Gervásio ao Seu Umbigo escrito por Pedro Rosário, José C. Núñez, Júlio González-Pienda. Editora Almedina

 

TOME CIÊNCIA: Projeto Férias da PUC-Campinas

Durante quatro dias no ano, os filhos de professores e de funcionários da PUC-Campinas e do Colégio de Aplicação PIO XII, na faixa de 7 a 14 anos, participam de atividades especiais no Campus I, nas dependências da Faculdade de Educação Física (FAEFI), do Centro de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (CCHSA).  Nadam nas piscinas, brincam nos campos, jogam nas quadras e aprendem se divertindo. A semana acontece no período de férias escolares de julho.

Filhos de funcionários e professores da PUC-Campinas têm uma experiência de férias inesquecíveis/ Crédito: Álvaro Jr.
Filhos de funcionários e professores da PUC-Campinas têm uma experiência de férias inesquecíveis/ Crédito: Álvaro Jr.

O Projeto Férias na PUC-Campinas é organizado pela Coordenadoria Geral de Atenção à Comunidade Interna (CACI), a qual afirma que não se trata apenas de atividades de recreação. “Nós apostamos no espaço físico da Universidade, porque criança gosta sempre de brincar, e os alunos da PUC-Campinas, que participam como monitores no projeto, garantem a diversão das crianças”.

14_10_2016_10_55_16

Para participar do Projeto da PUC-Campinas e ter mais informações sobre o mesmo, basta acessar o site da CACI. 

Tome Ciência: Eventos marcam os 75 anos da PUC-Campinas

Pesquisadores de destaque

 

Todos os docentes pesquisadores da PUC-Campinas foram homenageados pela Pró-Reitoria de Pró-Graduação e Pesquisa, representados por alguns docentes das cinco áreas do conhecimento, como o Prof. Dr. Lineu Corrêa Fonseca, da Ciências da Vida, o Prof. Dr. Adolfo Ignácio Calderón Flores, das Ciências Humanas, Prof. Dr. Jonathas Magalhães Pereira da Silva, repersentando as Ciências Sociais Aplicadas, a Profa. Dra. Denise Helena Lombardo Ferreira, da Ciências Exatas e da Terra e a Profa. Dra. Paula Cristina Somenzari Almozara, da área de Linguistica, Letras e Artes.

O evento fez parte das Comemorações aos 75 anos de fundação da Universidade e contou com palestra do então Diretor de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Prof. Dr. Arlindo Philippi Júnior, que destacou as conquistas da Instituição no âmbito da pesquisa e da internacionalização.

Arlindo Philippi Júnior possui Mestrado em Saúde Ambiental e Doutorado em Saúde Pública (USP), Pós-Doutorado em Estudos Urbanos e Regionais (MIT/EUA) e Livre Docência em Política e Gestão Ambiental (USP). Presidente da Comissão de Pós-Graduação da Faculdade de Saúde Pública, exerceu recentemente a função de Prefeito do Campus USP da Capital tendo sido Pró-Reitor e Adjunto de Pós-Graduação da USP.

 

Celebração Eucarística comemora 75 anos da PUC-Campinas

A PUC-Campinas promoveu na manhã do dia 11 de junho (sábado), na Catedral Metropolitana de Campinas, com participação da comunidade acadêmica – docentes, diretores de Centros e Faculdades, funcionários, alunos e egressos – a Solene Celebração Eucarística em Comemoração ao Aniversário de 75 anos da Universidade.

Celebração Eucarística em Comemoração dos 75 anos da Universidade. / Crédito: Álvaro Jr.
Celebração Eucarística em Comemoração dos 75 anos da Universidade. / Crédito: Álvaro Jr.

A cerimônia foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Campinas e Grão-Chanceler da PUC-Campinas, Dom Airton José dos Santos. Participaram da celebração o Arcebispo Emérito de Campinas, Dom Gilberto Pereira Lopes, o Bispo Diocesano de Amparo, Dom Luiz Gonzaga Fechio, além de religiosos, muitos deles, docentes da PUC-Campinas.

O Arcebispo lembrou que a Universidade Católica serve, ao mesmo tempo, à dignidade humana e à Igreja na tarefa da Evangelização e ressaltou a importância da PUC-Campinas na Educação, na Saúde e na Assistência ao longo dos 75 anos de existência.

Para a Reitora, Profa. Dra. Angela de Mendonça Engelbrecht, em 75 anos de História, a PUC-Campinas acumulou vitórias, cresceu e se consolidou na missão de produzir e difundir conhecimento, em benefício da sociedade. “Esse tempo trouxe, também, momentos de apreensão e dificuldades, vencidas com habilidade pelas pessoas que escreveram e continuam a escrever os capítulos da nossa História. O futuro, que nos compete construir, não será diferente”, celebrou.

 Lançamento do Livro Comemorativo dos 75 Anos da PUC-Campinas 

Na ocasião, a PUC-Campinas lançou o Livro Comemorativo dos 75 Anos. A publicação será distribuída para a comunidade interna, assim como, encaminhada a Instituições similares e aquelas de outra ordem, com as quais a PUC-Campinas mantém algum nível de relacionamento. Amigos, visitantes e parceiros da Universidade, evidentemente, também são e serão sempre destinatários do Livro. 

(texto Eduardo Vella)

 

Semana Monsenhor Dr. Emílio José Salim

Monsenhor Salim em uma herma de bronze, pedestal de mármore polido, amarelado/ Crédito: Álvaro Jr.
Monsenhor Salim em uma herma de bronze, pedestal de mármore polido, amarelado/ Crédito: Álvaro Jr.

A PUC-Campinas promoveu a Semana Monsenhor Dr. Emílio José Salim, entre os dias 13 e 17 de junho, integrando as comemorações dos 75 anos da Universidade. Temas como  “Década de 1940: o surgimento das Faculdades Campineiras”, “Monsenhor Dr. Emílio José Salim e o seu tempo (1941 a 1968)”, “Memórias e Convivências”, a PUC-Campinas buscou refletir sobre a conjuntura nacional e internacional, no período de atuação de seu primeiro Reitor, Monsenhor Dr. Emílio José Salim, peça chave da organização da maioria dos cursos superiores da Igreja nas décadas de 40 e 50. Tornou-se o principal esteio do projeto de implantação das Faculdades Campineiras e seu primeiro Reitor, entre os anos de 1958 a 1968.

Monsenhor Salim faleceu no dia 22 de junho de 1968. Em sua homenagem no Campus Central da PUC-Campinas, foi inaugurada, em 06 de abril de 1969, uma herma de bronze, pedestal de mármore polido, amarelado, obra do escultor De Nucci, como marca perene de admiração da Universidade por seu fundador e primeiro Reitor.

 

 

TOME CIÊNCIA: Obesidade e Sustentabilidade

IBGE aponta que 56,9% dos brasileiros têm excesso de peso

 No Brasil, 56,9% das pessoas com mais de 18 anos estão com excesso de peso, isto é, o índice de massa corporal (IMC) é igual ou maior que 25. Além disso, 20,8% das pessoas são classificadas como obesas por terem IMC igual ou maior que 30. O IBGE entrevistou 62.986 em todos os estados brasileiros.

Tal constatação não está distante dos dados do Ministério da Saúde de 2015, que apontaram que 33,5% das crianças entre 5 e 9 anos estão acima do peso.

Obesidade

 

 

 

 

 

 

 

 

Nova Unidade da Embrapa se volta à pesquisa de alimentos funcionais

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) anunciou a criação de uma nova unidade voltada à pesquisa de alimentos funcionais, aromas e sabores, com em Maceió. O objetivo é oferecer aos agricultores variedades de produtos com qualidades nutricionais reforçadas, capazes de atender a novas demandas do mercado. “A Embrapa já disponibiliza variedades biofortificadas, com vitaminas e minerais, de batata-doce, mandioca, feijão comum, milho e feijão-caupi, que beneficiam aproximadamente 2.500 famílias nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil.  Estão em processo de melhoramento variedades de trigo, abóbora e arroz”, disse o presidente da empresa, Maurício Lopes, que também destacou o sucesso de outras iniciativas da Embrapa, como a produção de alface com quantidades elevadas de vitamina B9, importante na nutrição de gestantes. “Nenhum país grande produtor e exportador de alimentos pode ignorar que há um movimento forte de integração do conceito de alimento, nutrição e saúde”, acrescentou. As pesquisas sobre alimentos funcionais são feitas atualmente em várias das 46 unidades da empresa espalhadas pelo país. A ideia é coordenar os projetos em andamento a partir de Maceió e propor novas iniciativas.

Com informações da FAPESP

 

Água e uma boa noite de sono são  a chave 

Beber água

Comer quando se está com muita fome, aumenta a chance de colocar comida em excesso no prato. Beber dois litros de água durante o dia e, principalmente, 400 ml antes das refeições é uma forma para você comer menos. Além disso, consumir água faz muito bem para a saúde.  Outra dica é dormir bem, pelo menos oito horas por dia, e não pular refeições. Dê atenção ao café da manhã. Pesquisas indicam que se alimentar pela manhã impulsionam seu metabolismo a funcionar muito melhor.

 

Embalagens verdes

Imaginar um futuro com embalagens plásticas comestíveis, que podem fazer parte de sopas e sucos sem causar mal à saúde, não é estar descolado da realidade. Novas possibilidades de armazenagem de alimentos que evitem o descarte pós-consumo das embalagens e ainda ajudam a nutrir os consumidores estão se concretizando de forma experimental em laboratórios de universidades e centros de pesquisa. No Brasil, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) estuda novos materiais que poderão ser transformados em embalagens ou mesmo ingredientes alimentícios. São chamados pelos pesquisadores de bioplásticos ou biopolímeros e podem fazer parte também de embalagens biodegradáveis. “Esses materiais têm características nutricionais, sabor e cor dos vegetais, ou podem ser transparentes, finos e com a mesma aparência que os plásticos comuns”, explica Luiz Henrique Capparelli Mattoso, pesquisador da Embrapa Instrumentação Agropecuária, localizada em São Carlos (SP).

Sustentabilidade

 

 

 

 

Mais informações, clique aqui.

 

 

TOME CIÊNCIA: Cresce o número de casos de violência contra pessoas com deficiência

O número de casos de violência contra pessoas com deficiência na região de Campinas teve um aumento de 35%.  Em 2014 foram registrados 1.074 ocorrências, já em 2015 este número saltou para 1.441 registros. Os dados são da Secretária da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Campinas, registrados por meio do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência (CRPD).

“Muitas vezes a violência não é só física, é também moral, ou uma discriminação, por exemplo.  O CRPD tem o papel de fazer o acolhimento primeiramente, com a dupla de profissional de psicologia e assistência social e na seqüência encaminha a pessoa para os demais serviços públicos que possam acolher o caso”, explica a Secretária da Pasta, Emanuelle Alkmin. Para ela, o aumento de 35% é preocupante. “Esta é uma violência contra a parte mais frágil da sociedade. Muitas vezes a pessoa com deficiência não tem como se defender. Sabemos ainda que muitas pessoas com deficiência ainda não têm coragem de fazer a denúncia, por que a violência muitas vezes acontece dentro de casa”.

As denúncias podem ser registradas diretamente no Centro de Referência da Pessoa com Deficiência (telefone 3231-6940), pelo telefone 156 ou no Ministério Público. Todas as denúncias são encaminhadas para a Secretaria e tem acompanhamento de uma psicóloga e assistente social.

A Secretaria da Pessoa com Deficiência informa que ainda não é possível traçar um perfil das vítimas, como as características sobre os tipos de deficiências, gênero, cor ou classe social. Segundo a Secretária, as denúncias mais freqüentes são física, moral, ou discriminação.

Nova lei fixa prisão para quem discriminar pessoa com deficiência

O Estatuto da Pessoa com Deficiência, espécie de marco legal para pessoas com algum tipo de limitação intelectual ou física, classifica o que é deficiência, prevê atendimento prioritário em órgãos públicos e fixa pena de reclusão de 1 a 3 anos para quem discriminar pessoas com esse perfil. A pena é ampliada em 1/3 se a vítima encontrar-se sob responsabilidade do agente e pode chegar a cinco anos de prisão caso a discriminação seja cometida por meios de comunicação social. Apropriar-se de bens e benefícios de pessoas com deficiência também pode render reclusão de até quatro anos. Além disso, o Estatuto prevê auxílio-inclusão para a entrada no mundo do trabalho, 10% das vagas em processos seletivos de cursos de ensino superior, técnico e tecnológico, além de prever mudanças no Estatuto da Cidade. O presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), Flávio Henrique de Souza, disse que a entidade vai cobrar e fiscalizar o cumprimento do estatuto para os cerca de 45 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência.

 

Saiba mais clicando aqui. 

Tome Ciência: Estou no último ano da Graduação! E agora?

Muitos cursos de graduação pedem um trabalho final, também conhecido como projeto experimental ou o famoso Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), para encerrar a graduação. É nesse momento que muitos alunos ficam desesperados, porque precisam pensar num projeto que seja inédito, interessante, executável entre outros detalhes. Alguns alunos começam a pensar nisso desde o primeiro ano do curso, outros já deixam para a última hora. O Jornal da PUC-Campinas separou algumas dicas que podem ajudar o aluno na hora de escolher o tema para o TCC.

O primeiro passo é fazer uma lista com os assuntos que mais lhe interessam. É importante analisar se esses assuntos vão ao encontro dos seus objetivos. Procure recortar o seu tema de forma mais detalhada possível. Lembre-se: o menos é mais. Uma boa dica é pesquisar pela internet as informações referentes ao tema do seu interesse, até para saber se o que você está achando que é uma ideia incrível já não foi pensada antes. Faça um top três com as melhores ideias e converse com o seu professor, para que juntos possam discutir se o tema é viável ou não.

Curtiu as dicas? Então, boa sorte!

Sustentabilidade

Novo Mestrado da PUC-Campinas! A Universidade oferece, a partir de 2016, o curso de Mestrado em Sustentabilidade, que tem como objetivo qualificar os alunos dentro de uma visão interdisciplinar para atuar de forma crítica e propositora em contextos diversos, como a pesquisa científica, a docência no ensino superior, no desenvolvimento de projetos, na condução de políticas públicas e na assessoria ao setor produtivo. Sempre pensando nos desafios impostos pela sociedade contemporânea.

Plantando vida

Plantio de mudas realizado pelos petianos com os calouros - Crédito: Álvaro Jr.
Plantio de mudas realizado pelos petianos com os calouros – Crédito: Álvaro Jr.

O Papa Francisco já havia declarado, em julho de 2015, que a ação imediata do mundo deve ser salvar o Planeta do aquecimento global. A PUC-Campinas mantém o Programa de Educação Tutorial (PET), da Faculdade de Ciências Biológicas, vinculado ao Ministério da Educação, que tem como tutora a Profa. Dra. Luciane Kern Junqueira. Dentre as atividades desenvolvidas pelo grupo está o projeto “Viveiro na Universidade: Vamos Reflorestar?” que tem por objetivo produzir mudas de espécies arbóreas nativas para doação à comunidade acadêmica e aos demais interessados.

O trabalho de plantio e manutenção das mudas no viveiro (localizado no Campus II) é realizado pelos próprios alunos e, para o ano de 2016, o objetivo é produzir 10.000 mudas de diferentes espécies nativas.

TOME CIÊNCIA: Edição 164

Intercâmbio acadêmico

A PUC-Campinas oferece programas de intercâmbios para seus alunos, com o objetivo de fomentar a troca de informações e a produção do conhecimento, incentivando a formação integral dos estudantes. Ao todo, são sete programas de intercâmbio acadêmico que estão disponíveis (a relação completa pode ser conferida no portal da Universidade. 

Trata-se de mais uma oportunidade de aprendizado, de estabelecimento de contato com novas culturas, de apropriação de novas informações ou novos formatos de entendimento do mundo, das pessoas e das coisas.   O intercâmbio é, hoje, uma estratégia de formação pessoal e profissional de amplo espectro, desejável para se obter sucesso em uma sociedade complexa, “sem fronteiras”, que exige do cidadão comportamento local/global, ou seja, que compreenda a parte e o todo.

Cultura e Arte na PUC-Campinas

O Centro de Cultura e Arte (CCA) é um Órgão Complementar da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, um espaço de educação alternativa e permanente onde o aluno da PUC-Campinas tem a oportunidade de se expressar criativamente numa atividade cultural ou artística que o valorize enquanto pessoa.

Atualmente o CCA abrange cinco Grupos Artísticos: Coral, Teatro, Dança, Música de Câmara e Big Band, todos formados por alunos dos vários cursos da PUC-Campinas, por pessoas da comunidade em geral e por funcionários. O CCA ainda promove o Arte no Campus (apresentações dos grupos pelos Campi), Encontro de Corais, de Dança, apresentações artísticas da Big Band e peças Teatrais.

Se organize!

Se a desorganização está congestionando sua vida e você está se sentindo frustrado e disperso como resultado, é hora de se organizar. A primeira dica é manter as coisas nos lugares em que elas pertencem. Use agenda, ela lhe ajudará a redimensionar as prioridades do dia. Ela é especialmente útil se você tem um monte de compromissos e os seus dias são tão diferentes que você chega a ter problemas para manter o controle de sua programação. Mas atenção: além de escrever na agenda, é importante conferir o que foi escrito, diariamente, e assim balizar o que foi possível realizar. Faça uma lista de prioridades; escreva tudo o que você precisa lembrar. Defina a tarefa que você realizará e em qual período do dia a fará, isso ajuda a organizar as atividades do dia. Delegue responsabilidades para outras pessoas, não tente abraçar o mundo. Saiba o que você precisa/quer fazer, quando você vai fazê-lo e evite a situação de stress de não saber o que precisa ser feito. Organização leva tempo, mas quando você a torna um hábito de vida, tudo se torna muito mais fácil.

Tome Ciência: Mês de outubro

Formatação de Texto!

Calma! Não é uma tarefa de outro planeta. Escrever em uma linguagem acadêmica pode ser complicado. Mas se há algo que dá tanto trabalho quanto é a formatação do texto dentro das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O ideal é que a produção do texto e a formação aconteçam simultaneamente, para que o trabalho árduo de formatação não fique para o final do processo. Assim, fica mais fácil “memorizar” as normas. Contudo, como as dificuldades sobre a ABNT não são consenso, estudantes da Universidade Federal de Pernambuco criaram uma plataforma onde é possível editar o texto já dentro de templates padronizados. Confira a reportagem da Revista Galileu clicando aqui. E abra este link para usar a plataforma.

Estudo compara padrões do sono em casas com e sem luz elétrica:

Um novo estudo observou diferenças no ciclo diário e na produção de melatonina entre pessoas que têm energia elétrica em casa – e são expostos à luz artificial à noite – e quem não tem acesso à eletricidade.

O estudo foi feito por pesquisadores do Brasil, do Reino Unido e da Suécia, que compararam padrões de sono de uma população de seringueiros e operários que vivem e trabalham em áreas remotas da Amazônia brasileira.

Confira a reportagem completa no site da FAPESP. 

CIAPD prepara pessoas com deficiência para o mercado de trabalho

Uma das formas mais significativas de inclusão social é a entrada no mercado de trabalho. Pensando deste modo, o Centro Interdisciplinar de Atenção à Pessoa com Deficiência (CIAPD) da PUC-Campinas, em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da PUC-Campinas, abre as portas para pessoas com deficiência física, mobilidade reduzida, sensorial, intelectual e múltipla, a partir de 16 anos de idade.

O CIAPD foi criado na década de 90, e desde então promoveu diferentes modalidades de projetos sempre com ênfase na inclusão social da pessoa com deficiência. Especificamente, no ano de 2014, adentrou uma nova fase no trabalho de inclusão social, voltada para a preparação da pessoa com deficiência para o mercado de trabalho.

 Confira a reportagem completa, aqui. 

 

TOME CIÊNCIA: Mês de Setembro

  • Você que está em processo de conclusão de curso de graduação ou pós-graduação e precisa realizar o seu projeto final, já sabe fazer revisão bibliográfica? A revisão bibliográfica é a base que sustenta qualquer pesquisa científica. Por isso, deve-se ficar atento a algumas considerações importantes sobre as revisões de literatura. 1. Saiba aonde quer chegar: estabeleça um “fio condutor”, uma linha de raciocínio que guie a leitura do texto. É importante também a leitura de “livros clássicos” sobre o tema. 2. Selecione as fontes de referência. Consulte fontes de artigos em periódicos científicos, livros, teses, dissertações e resumos em congresso. 3. Escreva de forma clara e objetiva: encontre os pontos de concordância e divergência entre os autores e conte a história da pesquisa. 4. Organize os trabalhos consultados: utilize ferramentas que permitem gerenciar sua coleção de referências bibliográficas (Gerenciadores de Referência). 5. Evite os principais erros, como, por exemplo, fazer uma revisão muito breve, revisão construída em cima de poucos autores ou estudos, não abordar todas as áreas, referências incompletas ou erradas, ausência de uma seção de conclusões que reúna as ideias principais abordadas no texto, má organização do material e interpretação ou adaptação de ideias de outros autores para que elas fiquem parecidas ou reforcem as suas. Para ver o guia com mais detalhes, acesse aqui. 
  • Cuidado! Pode ser plágio! O plágio acadêmico se configura quando o estudante ou pesquisador se apropria dos conceitos, das ideias ou até mesmo das frases do autor que as formulou e não cita esse autor no trabalho, isto é, não lhe dá o crédito. Isso é considerado crime. A prática de plágio é considerada uma violação de direito autoral. Fique atento. Para ter mais informações sobre plágio acadêmico,  clique neste link.
  • Atenção, alunos: No mês de agosto, o Portal Imprensa recebe indicações de professores de todo o Brasil. Para isso,  o projeto encoraja alunos a apontarem professores cujos métodos de ensino tenham sido eficazes durante a graduação em comunicação e que tenham transmitido conteúdo de forma adequada.  Serão válidas as indicações de professores que lecionam nos cursos de Comunicação Social, Jornalismo, Publicidade / Marketing, Relações Públicas e Rádio & TV. Acesse o site do Portal Imprensa e veja os detalhes.
  • PUC-Campinas aprovou o curso de Doutorado em Educação. O programa de Pós-Graduação em Educação, que já contava com o Mestrado, agora está completo e apresenta duas linhas de pesquisa: “Formação de Professores e Práticas Pedagógicas” e “Políticas Públicas em Educação”.  Mais informações no site da PUC-Campinas. 
  • Novo currículo do curso de Jornalismo inclui criação de portal de notícias e obrigatoriedade de estágio. Os ingressantes da faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas de 2016 vão se deparar com um currículo diferente dos de seus veteranos. A resolução partiu do Ministério da Educação (MEC), em setembro de 2013, e a mudança inclui a criação de um portal de notícias, dando maior ênfase na produção do jornalismo transmídia, tendência do mercado. Segundo o diretor do curso, Prof. Me. Lindolfo Alexandre de Souza, é um passo à frente em relação à atual plataforma on-line do curso, o portal Digitais PUC-Campinas. Outra mudança significativa no currículo será o estabelecimento da obrigatoriedade do estágio (mínimo de 200 horas). Será implementada uma nova disciplina chamada “Supervisão de Estágio” que permitirá ao aluno oficializar as horas de estágio com relatórios e acompanhamentos.

TOME CIÊNCIA: Dicas de Escrita e Prêmio CBN Universitário

Dicas de Escrita

Confira a dica da Por Profa. Dra. Maria Inês Ghilardi Lucena, docente e pesquisadora da PUC-Campinas e Coordenadora da avaliação das redações do Processo Seletivo (Vestibular) da PUC-Campinas

Quem não gostaria de conhecer dicas infalíveis para escrever bem?

É claro que há pessoas que, desde cedo, gostam de escrever e exercitam o ofício. Outras, com muito esforço, redigem somente aquilo que consideram “obrigatório” devido aos compromissos acadêmicos ou profissionais.

O que sugerimos é uma reflexão sobre como ter maior prazer no momento da produção escrita, em qualquer das situações do cotidiano. E, é lógico, atingir os objetivos com relação aos leitores do texto.

Redigir é, sempre, um exercício mais específico do que simplesmente uma transposição da linguagem oral para a escrita. Envolve conhecimentos linguísticos (da língua, do idioma), de mundo e capacidade cognitiva. Enumeramos, aqui, aspectos essenciais para escrever bem, embora não haja “receitas” infalíveis:

1) conhecer e/ou estudar o gênero (os diferentes textos que encontramos em nossa vida diária) e o tipo de texto que se propõe utilizar;

2) conhecer (minimamente) o perfil do leitor do texto;

3) ter um objetivo claro a atingir;

4) usar linguagem adequada ao gênero textual e ao perfil do leitor;

5) buscar clareza e coerência (sentido), de acordo com o gênero proposto;

6) fazer a coesão (ligação) adequada entre os constituintes textuais (palavras, frases e parágrafos);

7) expressar-se, em alguns gêneros, com objetividade, em outros, deixar aflorar a subjetividade;

8) despertar o interesse do leitor (com criatividade);

9) escrever sobre o que se conhece e do que se gosta;

10) ser sujeito de sua própria linguagem (ter o que dizer e poder fazê-lo);

11) fazer revisão gramatical;

12) reescrever o texto (não se escreve tão bem na primeira versão).

Assim, escrever com freqüência, para aprimorar a escrita, é fundamental.

***                                    ***                                       ***                                        ***

Portal da Escrita Científica

Com o objetivo de auxiliar a comunidade acadêmica na redação de trabalhos científicos, a Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos mantém o Portal da Escrita Científica, que reúne ferramentas de apoio à produção de artigos, dissertações, teses e outras publicações, gerenciamento de referências bibliográficas, editoração e outros recursos.

Entre os recursos oferecidos estão materiais informativos e didáticos, cursos on-line, videoaulas, workshops, tutoriais e ferramentas computacionais de auxílio à escrita em português e em inglês desenvolvidas pelo ICMC, que auxiliam na organização da estrutura e do conteúdo dos trabalhos.

Os serviços do Portal da Escrita Científica da USP de São Carlos podem ser acessados clicando aqui.  Para mais informações: veja aqui. 

***                                         ***                             ***                             ***

Prêmio CBN de Jornalismo Universitário

Em sua sétima edição, o Prêmio CBN de Jornalismo Universitário quer estimular o diálogo. O tema escolhido para as reportagens é:Mais tolerância, menos conflitos. Em tempos de ânimos acirrados, de impasses sem solução, buscar histórias de conflitos solucionados, de entendimento alcançado vai ser o desafio dos participantes.

As inscrições serão feitas apenas pela internet e vão até 31 de julho. A divulgação do resultado ocorrerá no dia 1º. de outubro de 2015.

Os trabalhos podem ser individuais ou em grupo. Os três melhores serão premiados, sendo um considerado vencedor e, os outros dois, menções honrosas. O primeiro colocado (ou primeiros colocados, no caso de reportagem em grupo) terá direito a troféu; iPad; visita supervisionada para acompanhar o funcionamento da CBN em São Paulo, com as despesas de passagem e hospedagem pagas; veiculação do conteúdo na programação da rádio; e certificado de participação. As menções honrosas também terão o material veiculado na rádio e receberão certificados.

Não perca o fechamento desta edição, participe clicando aqui.