Ex-alunos da PUC-Campinas são destaque no Brasil e no mundo

No mercado ou na área acadêmica, ex-alunos da PUC-Campinas mostram como faz diferença escolher uma Universidade que possibilite mais do que um diploma, uma formação.

Por Amanda Cotrim

O presidente de empresa mais bem avaliado do Brasil é o ex-aluno da PUC-Campinas, Marcio Henrique Fernandes. Formado em Administração pela Instituição, ele ocupa o cargo de presidente da Elektro, desde 2011, quando ainda tinha 36 anos. O fato de Marcio ser jovem e já ocupar o cargo mais alto dentro de uma empresa, o fez ser destaque em diversos jornais e revistas do Brasil, os quais ressaltaram que em uma escala de zero a 100, a gestão de Marcio foi avaliada em 98,3, a partir de pesquisa “As melhores empresas para você trabalhar”.

Marcio Fernandes obteve sucesso por ser um dos executivos mais jovens ocupando a presidência de uma empresa/ Crédito: Assessoria.
Marcio Fernandes obteve sucesso por ser um dos executivos mais jovens ocupando a presidência de uma empresa/ Crédito: Assessoria.

Ninguém consegue o que Fernandes conseguiu em um “passe de mágica”. É preciso, segundo ele, uma base. “A PUC-Campinas me ofereceu essa base e me ajudou concretizar meus sonhos no mundo do trabalho”. Ele escolheu a Universidade por causa do corpo docente, “referência na Administração”, destaca.

Outro caso de sucesso, mas dessa vez na carreira acadêmica ocorreu com o ex-aluno José Rubens Rebellato, formado em Fisioterapia na década de 1970. “Por ser a Universidade mais moderna em relação às demais universidades – como a Universidade de São Paulo- a PUC-Campinas me permitiu uma visão menos conservadora sobre a profissão”, conta ele, ressaltando que essa modernidade permitiu que o conjunto de profissionais formados pela PUC-Campinas pudesse propor alterações na montagem de outros cursos de Fisioterapia pelo país. “Fiz parte do grupo que montou o curso de Fisioterapia da Universidade Federal de São Carlos, considerado um dos melhores do país durante muitos anos”, destaca.

Rebelatto se dedicou à vida acadêmica e à pesquisa. Ele foi Reitor da Federal de São Carlos, entre 1996 e 2000, e Secretário de Educação Superior Substituto do Ministério da Educação. Hoje, o ex-aluno se lembra da PUC-Campinas com carinho. “O Pátio dos Leões é, sem dúvida, minha memória mais viva, pois foi lá em que iniciamos o curso de Fisioterapia. Era um local em que ocorriam os movimentos políticos e as pequenas mobilizações acadêmicas. Uma época muito especial, cuja esperança de um futuro melhor era o que imperava”, se orgulha.

Dom Sérgio da Rocha é Presidente da CNBB/ Crédito: Álvaro Jr.
Dom Sérgio da Rocha é Presidente da CNBB/ Crédito: Álvaro Jr.

Exemplos de ex-alunos que têm sucesso em suas carreiras não são poucos. Um dos que foram filhos da PUC-Campinas é do atual Arcebispo de Brasília e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Sérgio da Rocha. Segundo ele, a existência de uma comunidade acadêmica decorre do dinamismo e do caráter dialogal do saber: “Ao fazer isso, a Universidade se torna um local de formação integral para a vida”, observou Dom Sérgio que é formado em Teologia pela Instituição. O Presidente da CNBB tem Mestrado em Teologia Moral pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo, e obteve o Doutorado na Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma.

Do Brasil para o Mundo

Cristiane Squarize fundou o laboratório de Biologia Epitelial nos Estados Unidos/ Crédito: Álvaro Jr.
Cristiane Squarize fundou o laboratório de Biologia Epitelial nos Estados Unidos/ Crédito: Álvaro Jr.

Cristiane Squarize e Rogério Moraes se conheceram na PUC-Campinas, no curso de Odontologia, na década de 1990, quando começaram a namorar. Do namoro veio o casamento, o mestrado, doutorado e o pós-doutorado. Hoje, os dois são professores da área de patologia bucal, na Faculdade de Odontologia da Universidade de Michigan e fundadores e responsáveis pelo laboratório de Biologia Epitelial da universidade, nos Estados Unidos. Em 2014, Cristiane concedeu entrevista ao Jornal da PUC-Campinas, na qual revelou que a formação que recebeu na Universidade para o sucesso da sua carreira foi fundamental. “A formação que tivemos foi única. Na PUC-Campinas tivemos acesso à prática e ao paciente durante todo o curso, o que me deu uma formação mais humana”, lembra a ex-aluna.

A oportunidade de trabalhar nos Estados Unidos surgiu quando a pesquisadora estava no doutorado sanduíche (termo usado para dizer que o aluno fez parte do curso de doutorado fora do país). “Eu fiquei em um laboratório da mesma universidade em que trabalho hoje e, paralelamente, fui publicando meus artigos científicos, até que eu e meu esposo fomos convidados para fazer o pós-doutorado lá. Em 2010, a universidade abriu concurso e passamos. Os dois!” brinca Cristiane. Para ler a matéria completa, acesse o link aqui. 

Ocupar cargos que extrapolam as fronteiras do Brasil também foi o caso de Cyro Diehl, que é formado em Análise de Sistemas pela PUC-Campinas, em que também realizou Pós-Graduação em Gestão Empresarial. O executivo ingressou na empresa Oracle, em junho de 1997, com o desafio de montar o escritório regional em Campinas, no interior de São Paulo, em que ficou até 2000. Nesse mesmo ano, foi convidado para iniciar, em Miami (EUA), o Oracle Direct Brasil e, no final de 2001, estruturou a divisão para toda a América Latina. Após essa experiência, ele assumiu a vice-presidência de Vendas Indiretas da Oracle do Brasil e, no início de 2006, foi promovido à vice-presidência de Vendas Indiretas da Oracle para a América Latina, passando a responder por todo o continente. Em 2009, Cyro Diehl assumiu a presidência da Oracle do Brasil. Ele conta que seu maior objetivo é “manter o ritmo de crescimento da operação da empresa no País”.

A Universidade já formou 18 desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo, sendo um deles o Desembargador, formado em Direito, Francisco Vicente Rossi. A PUC-Campinas também esteve presente na vida de personalidades de grande apelo midiático, como alguns famosos. É o caso do técnico de futebol Tite, formado em Educação Física e da jornalista Renata Ceribelli, correspondente internacional nos Estados Unidos pelo programa Fantástico, da Rede Globo. A cantora Sandy, formada em Letras pela Instituição, também figura a lista de personalidades conhecidas do grande público.