“O desenvolvimento é o novo nome da paz”

Por Sílvia Perez

A frase que intitula este texto não é nova, foi pronunciada há cinquenta anos pelo hoje Beato Papa Paulo VI, em uma das encíclicas mais importantes da Doutrina social da Igreja Católica, a Populorum Progressio, que significa O Desenvolvimento dos Povos. Este documento, inclusive, foi a inspiração para o Colóquio “Por uma Cultura da Paz, em Comemoração aos 50 anos da Encíclica Populorum Progressio, realizado nos dias 8, 9 e 10 de maio, na PUC-Campinas.

A conferência de abertura do evento foi proferida pelo Bispo Diocesano de São Carlos, Dom Paulo Cézar Costa, que reforçou a importância da encíclica que toma a desigualdade um ponto crucial. “Papa Paulo VI considerou que o desenvolvimento deve ser integral, do homem todo e de todo o homem, o desenvolvimento é fundamental para a paz. Passaram-se cinquenta anos, mas ainda existe grande diferença entre ricos e pobres, existe violência, guerras, pobreza, e para que haja paz é preciso haver justiça, quando não há relações justas, falta a paz”, explicou Dom Paulo.

Com o entendimento de que a paz só será possível a partir do desenvolvimento dos povos, o documento do Papa Paulo VI enfatiza a questão do diálogo. “Papa Francisco retoma a questão propondo a necessidade do diálogo entre os povos e da fraternidade entre as nações para a construção de uma sociedade mais equilibrada, porque a partir do diálogo é possível encontrar soluções”, destacou o Bispo.

O documento do pontífice que colocou a Igreja Católica em solidariedade com os países mais pobres do mundo há cinco décadas continua atual. “Em um mundo globalizado, a solidariedade também deve ser globalizada, inclusive com a percepção da solidariedade dos bens, visando a eliminação do desequilíbrio econômico e olhando para os mais necessitados”, reforçou.

O Colóquio “Por uma Cultura da Paz, em Comemoração aos 50 anos da Encíclica Populorum Progressio” foi organizado pelo Núcleo de Fé e Cultura da Universidade e aconteceu nos Auditórios Dom Gilberto e Cardeal Agnelo Rossi, ambos no Campus I da PUC-Campinas.