Sustentabilidade e eficiência energética no Campus

Mais uma etapa do projeto Campi Inteligentes

Por Sílvia Perez

Na edição de maio do Jornal da PUC-Campinas, foi apresentado o projeto Campi Inteligentes, que é trabalhado em cinco dimensões sobre as quais os novos projetos estarão sendo desenvolvidos, são elas: Energia, Água e Resíduos, Mobilidade, Segurança e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

A dimensão abordada fala de Energia, focando na participação da PUC-Campinas no PEE2016 da CPFL, cujo escopo do projeto foi da substituição da iluminação de todas as salas de aula e laboratórios dos dois Campi por lâmpadas a LED, que consomem 50% menos que as fluorescentes utilizadas; além da construção de uma pequena usina de energia fotovoltaica no Centro de Tecnologia, localizado no Campus I da Universidade.

Como os projetos não param por aí, é importante destacar o que está atualmente em andamento para a substituição das luminárias externas também pela tecnologia LED. Para se ter ideia da diferença, basta andar pela Avenida Dom Cardeal Agnelo Rossi (avenida principal do Centro de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas – CCHSA), que já faz uso dessas luminárias. O projeto encontra-se em fase de teste técnico das luminárias que já podem ser vistas em diversos modelos na Avenida Reitor Benedito José Barreto Fonseca (entrada do Portão 2 – Campus I).

De acordo com o Diretor da Faculdade de Engenharia Mecânica, responsável pelo projeto, Prof. Dr. Marcos Carneiro da Silva, a substituição deverá melhorar a iluminação do local. “Essas luminárias passaram por um avanço tecnológico importante e, hoje em dia, têm capacidade para cerca de 150 lumens por watts, isso significa que as áreas ficarão mais bem iluminadas”, explica.

Outro projeto interessante, que está em fase inicial, prevê rotas de segurança com luminárias LED que não precisam de ligação com a rede de energia. Isso porque elas possuem uma placa fotovoltaica que carrega um conjunto próprio de baterias, durante o dia, que garantirá o acendimento da luminária durante a noite. Essas luminárias terão uma altura menor, possibilitando uma potência melhor da lâmpada de LED e, consequentemente, uma maior duração da bateria.

Segundo o Prof. Dr. Marcos Carneiro da Silva, a mudança trará outro benefício. “Estamos dimensionando uma luminária que permitiria desligar toda a iluminação de segurança do Campus I, que utiliza energia da CPFL, resultando em uma economia muito significativa”, explica.

Para o futuro, ainda serão estudadas as possibilidades para a geração alternativa com a utilização de gás natural nos horários de ponta, nos quais o custo da energia é mais caro e, também, a verificação do potencial eólico do Campus, no entanto, essa última opção, possivelmente, deve ser estudada apenas para fins acadêmicos.