Arquivo da tag: profissao

Cursos de Extensão na PUC-Campinas: via expressa para a atualização profissional

A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PROEXT) dispõe de uma variedade de Cursos de Extensão a serem oferecidos em 2017, como forma de estimular a busca por atualização profissional, em face de demandas emergentes em todas as áreas do conhecimento humano. Esses cursos são caracterizados por atividades que promovem aprendizagem pontual, atualizada e ágil. São propostos e desenvolvidos por professores que também são profissionais atuantes em áreas específicas.

A sociedade exige mudanças rápidas e inovações que são repassadas para as atividades profissionais. Essa rapidez e esse ambiente em constante mudança exigem que os profissionais, de todas as áreas, se atualizem constantemente. Nesse contexto, os Cursos de Extensão oferecem oportunidades de atualização pontual para estudantes e profissionais, independentemente de área ou idade. Com a visão de que atualização e aprendizagem continuada passam a ser a tônica da sociedade, a PROEXT, em parceria com os vários Centros e Faculdades da Universidade, oferece Cursos de Extensão com um conceito de “life long learning”, atendendo às expectativas tanto de jovens estudantes em formação quanto do segmento de pessoas que se consideram na meia-idade ou na terceira idade.

A intenção é fazer com que profissionais egressos dos Cursos de Graduação e de Pós-Graduação da PUC-Campinas, ao longo de uma história de 75 anos, possam sempre voltar à Universidade para desenvolver ideias novas e para aprender metodologias de trabalho inovadoras de forma a permanecerem sintonizados com a evolução da sociedade.

O conjunto de Cursos de Extensão oferecidos pela PUC-Campinas procura harmonizar os temas clássicos de cada área profissional com outros emergentes, estimulados pelas rápidas e constantes mudanças no cenário sócio-econômico-político e também religioso. Para demonstrar essa diversidade, destacam-se alguns, dentre os 84 cursos em condições para serem oferecidos ao público interno e externo no próximo ano: (CEA) Capacitação em Gestão de Projetos – Método e Prática; (CEATEC) Computação Criativa: Introdução ao Pensamento Computacional com Scratch; (CLC) Projetos e Roteiros Turísticos Religiosos; (CCHSA) Crimes digitais – aspectos materiais e processuais; (CCV) Fonoaudiologia Forense: Legislação, Áreas de Interesse e Mercado de Trabalho. A lista completa dos Cursos de Extensão da PUC-Campinas pode ser acessada pelo link: http://www.puc-campinas.edu.br/extensao/ .

Destaca-se, ainda, que a PUC-Campinas dispõe de um Acordo com empresas e entidades profissionais para descontos em Cursos de Extensão que está em pleno funcionamento e oferece 15% de desconto para alunos, ex-alunos, funcionários e associados de empresas, sindicatos e demais instituições. Esse desconto é extensivo aos dependentes, o que amplia a visibilidade dos cursos junto ao público da Região Metropolitana de Campinas.

Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários/CCE – PROEXT

 

Novos cursos de Graduação, Mostra de Profissões e Vestibular 2017

Por Prof Dr. Orandi Mina Falsarella

Em meio às comemorações dos 75 anos de sua fundação, a PUC-Campinas anuncia a abertura de oito novos cursos de Graduação, que já estarão disponíveis para o Vestibular 2017. As inscrições, que se iniciaram no dia 05/08/2016, podem ser realizadas pelo Portal da Universidade (www.puc-campinas.edu.br). São eles: Medicina Veterinária, Relações Internacionais, Engenharia de Software, Engenharia Mecânica, Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos, Superior de Tecnologia em Gestão Comercial, Superior de Tecnologia em Gestão Financeira e Superior de Tecnologia em Gestão Pública.

Os Cursos Superiores de Tecnologia terão duração de cinco semestres e serão oferecidas 60 vagas para cada um, apenas no período Noturno. As aulas ocorrerão no Campus II, localizado na Avenida John Boyd Dunlop – s/nº – Jd. Ipaussurama – Campinas/SP.

O Curso de Relações Internacionais terá a duração de oito semestres, com o oferecimento de 60 vagas. As aulas acontecem no Campus I (Rodovia Dom Pedro I, km 136, Parque das Universidades – Campinas/SP) em período Integral – Matutino/Vespertino do 1o ao 6o semestre e Vespertino/Noturno no 7o e 8o semestre.

O Curso de Engenharia de Software terá a duração de oito semestres e serão oferecidas 60 vagas. O período de aulas será Matutino, do 1o ao 6o semestre e Noturno nos 7o e 8o semestre. Já o Curso de Engenharia Mecânica terá a duração de dez semestres, com o oferecimento de 60 vagas. O período de aulas será Integral – Matutino/ Vespertino, do 1o ao 6o semestre e Vespertino/Noturno do 7o ao 10o semestre. As aulas de ambos serão ministradas no Campus I.

Já o Curso de Medicina Veterinária terá a duração de oito semestres no período Integral e 10 semestres se cursado no período Noturno. Serão oferecidas 120 vagas, 60 por turno. As aulas ocorrerão no Campus II.

Para o Vestibular 2017, a PUC-Campinas oferecerá 57 cursos, entre Bacharelados, Licenciaturas e Superiores de Tecnologia. As inscrições acontecem de 05 de agosto a 25 de setembro de 2016.

Mostra de Profissões 2016

A 5a Mostra de Profissões acontecerá nos dias 26 e 27 de agosto de 2016, no estacionamento do Shopping Center Iguatemi Campinas. O evento é aberto ao público e contará com a participação de professores, diretores e alunos da PUC-Campinas, que irão esclarecer dúvidas referentes às diversas profissões e cursos oferecidos pela Universidade.

 

Estudo e trabalho

No tempo primordial da nossa civilização, trabalho e estudo eram pontos que se deslocavam em espaços diferentes. Pouco dedicava ao trabalho quem estudava e, quem trabalhava, raramente podia estudar. Depois, trabalho e estudo tomaram trajetória paralela, com implicação mútua. Estudar mais passou a significar trabalhar melhor. Agora, trabalho e estudo são congruentes, simultâneos, compondo um único corpo, sem superfície de separação.

Relações econômicas transformadas pela globalização e dinamizadas pela tecnologia determinaram a educação permanente e a formação profissional continuada como regra e norma da sociedade contemporânea, em que o trabalho exige cada vez mais estudo e este potencializa cada vez mais a capacidade para o trabalho.

Computador, tecnologias portáteis, mobilidade elevada, aprendizagem “in company” são recursos que permitem a simultaneidade entre trabalho e estudo, fazendo mudar a dinâmica das relações humanas e a estrutura social. Esse caminho sem volta de transformação permanente atinge as empresas, os governos, as instituições, até mesmo a família e, de modo muito especial, a Universidade.

A ideia de labutar só depois do curso superior ou interromper o trabalho para fazer pós-graduação tornou-se incomum nos dias de hoje, em que ser aluno e profissional ativo não são mais condições excludentes… Ao contrário.

Para dar conta dessa tendência, a Universidade precisa de remodelação contínua, ajustando-se ao aluno que já está na empresa e àquele outro que não pretende agendar o trabalho somente após o diploma. O primeiro momento dessa transformação aproximou o mundo acadêmico do universo profissional, mas não foi suficiente. Hoje, a conduta mais apropriada para associar positivamente trabalho e formação intelectual leva o nome de integração.

Os objetivos estratégicos da PUC-Campinas tratam da integração com o mundo do trabalho, focada nos ramos de atividade contemplados pelas 40 Faculdades e um número ainda maior de Cursos que formam profissionais de nível superior, bem como Cursos de Especialização e Programas de Pós-Graduação.

Para isso, são criados e aplicados programas e projetos para colocar empresas, organizações governamentais e não governamentais dentro dos campi, mantendo, simultaneamente, a Universidade presente nessas instituições, cujos resultados positivos englobam empregabilidade, ascensão profissional, desenvolvimento de carreira, produtividade crescente e mais uma série de itens que beneficiam não só o profissional, mas também os demais agentes e compartimentos da organização social.

O número de alunos da PUC-Campinas envolvidos e atuantes no mundo do trabalho é grande e crescente. Parte já atuava profissionalmente quando chegou à Universidade, outros estabeleceram relações profissionais na condição de veteranos e outros, ainda, estavam diplomados, mas voltaram para alguma modalidade de aperfeiçoamento (pós-graduação, por exemplo), ou mudança de área de atuação. Todos, indistintamente, desenvolvem trabalho e estudo como atividades simultâneas e buscam aprimoramento.

O horizonte profissional se descortina já no início da vida acadêmica, cabendo aos vestibulandos e ingressantes conhecer e aproveitar as oportunidades.

Alunos, ex-alunos e professores da PUC-Campinas são excelente fonte de informações para quem deseja conhecer e aproveitar as oportunidades de nossos projetos, programas e ações que associam formação universitária com atuação profissional. No Portal da Universidade também existe muita informação e orientação para o passo mais importante da carreira que você já iniciou, ou vai começar brevemente.

Seja bem-vindo!

Profa. Dra. Angela de Mendonça Engelbrecht

Reitora da PUC-Campinas

Vocação como sentido da existência humana

A vocação como sentido da vida é uma necessidade humana. A vocação consiste na escuta interior de um apelo que dá significado à vida inteira. É parte do nosso ser, que nos orienta a construir o nosso destino; nos proporciona encontrar a nossa direção, o nosso projeto de vida. Ela é essencial no processo de sobrevivência num mundo complexo e sem sentido. Aqui surge uma questão para os dias atuais: como dar sentido à vida num mundo cada vez mais sem sentido, sem profundidade da existência humana, cada vez mais desumanizador? Por isso, a necessidade de resgatar o nosso próprio ser interior, que nos proporciona ordem e coerência aos nossos ideais, às nossas ideias, às nossas emoções, enfim, à nossa vida.

A vocação contribui para a nossa vida nos proporcionando uma identidade pessoal, “quem sou? De onde venho, para onde vou?”. Em segundo lugar, uma identidade social, o ser para o outro, no relacionamento familiar e social. Em terceiro, nos proporciona valores, nos dando fundamentos e alicerces para agirmos a partir das nossas convicções. E, por fim, nos ajuda a lidar com o mundo, a superar obstáculos e dificuldades que enfrentamos a cada dia, nos dá resistência e solidez para caminharmos rumo aos nossos ideais de vida.

A vocação é o impulso vital que orienta o nosso caminhar, a nossa existência. A vocação, como impulso vital, representa o encontro com o nosso autêntico caminho, fazendo-o centrar-se e realizar-se na dimensão mais profunda de nossa existência. Para vivenciarmos esse impulso vital precisamos de pessoas que colaborem conosco. Devem ser pessoas de referência na nossa vida, como, por exemplo, a nossa família, os nossos educadores. Pessoas que não diminuam o nosso impulso vital, mas que se propõem a orientá-lo para possibilitar uma vida realizada.

A profissão na perspectiva da sociedade contemporânea

Entende-se por profissão uma atividade humana duradoura e especializada, por meio da qual o homem participa das tarefas da sociedade e ganha o seu sustento na busca da sobrevivência. O mercado do trabalho faz com que as tarefas profissionais sejam parciais e separadas da totalidade da vida. Desse modo, a tendência é tornar a profissão apenas uma tarefa visando ganhar dinheiro, sem importar muito o que se faz, buscando o sustento, perdendo-se o sentido humanizador do trabalho, que fica rebaixado a uma tarefa condicionada ao lucro e à sobrevivência social.

A sociedade apresenta pretextos que, frequentemente, influenciam os jovens para que abracem profissões consideradas lucrativas, da “moda” e prestigiosas, mesmo contra os profundos anseios que brotam do íntimo do seu ser. Nessa perspectiva, a profissão, implica a dedicação a uma tarefa especializada segundo as necessidades da sociedade, cuja motivação acontece por razões exteriores, utilitárias e práticas. Derivam daí, inúmeras frustrações do ser humano, que tem abundância de bens de consumo, mas escassez de sentido, e, por isso, sente-se desprovido do seu interior, deixando de dar valor a si mesmo e ao conjunto de suas potencialidades.

A profissão como vocação

A vocação é a “alma” das atividades e das tarefas profissionais. Sem ela, o trabalho profissional e a própria vida se tornam monótonos, mecânicos e perdem o seu supremo valor. Devemos ter a consciência de que o trabalho profissional é uma atividade importante e assume um significado antropológico: serve para formar e aperfeiçoar o ser humano, contribuindo para a sua vida e para o bem-estar da humanidade.

A vocação profissional se relaciona com todas as dimensões da vida. Uma autêntica vocação é capaz de integrar todas as tarefas profissionais e dar sentido às nossas ocupações cotidianas, até mesmo aquelas consideradas mais simples. Existem ações profissionais em que a inspiração vocacional revela-se mais facilmente, são aquelas em que se relaciona diretamente com pessoas, como a do professor, enfermeiro, psicólogo, serviço social, e tantas outras; mas na verdade toda profissão assumida como vocação traz a sua contribuição para um mundo mais humano e mais justo.

É, cada vez mais, urgente dar às profissões o espírito da vocação, que torna o ser humano consciente do seu valor e significado. A valorização da vocação profissional traz consigo a mística do amor à profissão, uma paixão esperançosa capaz de transformar a realidade.

Prof. Dr. Edvaldo Araújo é diretor da Faculdade de Filosofia da PUC-Campinas

Meu futuro? É empreendedor!

Qual será a profissão do futuro? Quais carreiras sumirão e quais estarão em ascensão daqui cinco anos? Será que a escolha que estou fazendo vai “pagar minhas contas”?

Essas e outras questões sobre carreira são sempre repetidas, ano após ano, seja nos colégios, no cursinho pré-vestibular, em casa e, também, durante nossa passagem pela universidade. Arrisco dizer que é durante nossa passagem pela universidade que a pressão pela escolha realmente aparece: “Nossa, já se passaram dois anos desde que iniciei o curso e ainda estou em dúvida… será que paro agora ou vou até o final? O que vão pensar de mim se eu desistir agora? O processo seletivo das empresas tem ‘desafios’, será que estou preparado? E se… E se… E se…”.

Não precisamos ser estudiosos em História para perceber que a sociedade vem mudando seus desejos cada vez mais rapidamente. Detalhe: a sociedade sempre buscou por mudanças. Está no nosso DNA, na nossa natureza, no nosso INSTINTO, o desejo contínuo de mudança. A evolução da espécie humana está associada ao desejo de mudança para uma situação que proporcione um “algo a mais”, seja “mais comida”, “mais poder” ou “mais conforto”. Como, então, estar preparado para o futuro? O tempo médio dos cursos superiores é de 4 anos e a Apple ou a Samsung lançam novos equipamentos a cada 7 ou 8 meses (quando muito)…

Uau! A filosofia de algumas empresas antigamente era de um “produto para uma vida inteira”, e, agora, a “vida inteira” de um produto é de 7 meses? Novamente a pergunta: Como devemos nos preparar para o futuro?

Talvez a resposta esteja mais próxima do que pensamos… Como é parte do instinto do ser humano o desejo de mudança, que tal explorarmos esse “potencial interno”? O grande diferencial dos profissionais de sucesso, em todas as épocas, é a capacidade de identificar oportunidades e AGIR rapidamente. Uma boa ideia representa menos que 10% do sucesso. Os outros 90% vêm do esforço, da persistência, da ATITUDE de transformar uma ideia em realidade.

Outro ponto importante: ninguém consegue abraçar o mundo sozinho. Ou seja, profissionais de sucesso interagem, integram, colaboram, constroem seus sonhos em equipe. E reconhecem o valor desse trabalho em equipe. E o que é interessante: a maior parte das empresas que mais crescem é composta por times multidisciplinares: Esporte com Marketing; Engenharia com Saúde; Educação com Tecnologia; Estatística com Administração Financeira. Apenas para citar algumas oportunidades.

Nesse cenário, estar preparado para o futuro é investir tempo compartilhando com pessoas de diversas áreas de formação, nossas expectativas e competências, avaliando sempre a possibilidade de construir algo novo.

Para apoiar esse processo de construção de um novo futuro para nossa comunidade interna, desenvolvemos o Programa PUC-Campinas Empreende que oferece um ambiente de compartilhamento de ideias e construção de oportunidades entre os alunos da Universidade, potencializando a relação com empresas e investidores, e reconhecendo com prêmios o esforço e a dedicação de nossos alunos.

Em 2015, estaremos na 3a edição do Desafio de Ideias e na 2a edição da Pré-Incubação de projetos. Com intensidade e persistência, bons frutos estão surgindo. E a profissão do futuro? Empreender… E é já!! Prepare-se e seja bem-vindo ao PUC-Campinas Empreende 2015!

O Docente Tiago Aguirre é o responsável pelo projeto PUC-Campinas Empreende

 

 

Por que a escolha de uma boa universidade é fundamental para a vida ?

Primeiro passo em direção ao futuro profissional

Por Giovanna Oliveira

Anos atrás, a escolha de uma profissão e de uma universidade na vida de um cidadão era bem mais simples. Era uma escolha significativa, mas não tão ampla e concorrida como a dos dias atuais. Já faz um tempo que as opções, tanto de cursos, quanto de universidades e de faculdades, são tantas, que a cabeça do jovem passa a ser “bombardeada” com milhares de informações, para fazer a “escolha certa”. Mas por que essa escolha se tornou tão importante?

Na sociedade atual, cuja escolha da carreira tem grande impacto no futuro, deve levar em consideração, além de outros, fatores como conforto, formação, infraestrutura, docentes, mercado de trabalho e relações interpessoais. É por isso que a universidade escolhida deve ser analisada com cuidado, para que atinja, dentro do possível, o maior número de metas estabelecidas pelo próprio jovem.

Foto: Álvaro Jr Um bom profissional começa numa boa sala de aula
Foto: Álvaro Jr.
Um bom profissional começa numa boa sala de aula

É na decisão sobre qual curso escolher que o jovem projeta o que será no futuro, como explica a psicóloga e docente do Centro de Ciências da Vida (CCV), Profa. Dra. Maria de Fátima Franco dos Santos. “Existem universidades que não têm a preocupação com a formação humana do aluno. Apenas oferecem cursos mais técnicos, direcionados ao mercado de trabalho. Em geral, essas universidades têm uma visão mais empresarial a respeito do ensino, quando na verdade elas teriam de ter uma visão mais humanista, que transforma o aluno para além da sala de aula e conduz suas atividades profissionais.

O Pró-Reitor de Graduação da PUC-Campinas, Prof. Dr. Orandi Mina Falsarella, concorda que as universidades devem ir além de uma formação inteiramente relacionada ao mercado de trabalho. “Ela tem de receber o jovem, que, muitas vezes, veio do Ensino Médio e entrou na universidade para ter uma profissão, e formá-lo para que ele possa exercer aquela profissão escolhida da melhor forma possível. Mas tem de haver uma formação integral. Uma formação integral do ser humano, esse é o grande diferencial entre uma universidade e uma faculdade.”

Diferenciar uma faculdade de uma universidade é relevante quando o aluno deixa a sala de aula e torna-se um profissional em busca de uma oportunidade. O docente do Centro de Economia e Administração (CEA) Prof. Me. Valdenir da Silva Pontes, explica: “Eu acredito que o mercado olha com mais carinho quando o aluno é formado em uma universidade, já que ele, no próprio sentido da palavra, tem uma formação mais universal, mais completa, mais abrangente. Com forte apelo, inclusive, em áreas que não são específicas da formação do aluno. Já as faculdades não oferecem isso. Pelo menos não na qualidade e quantidade desejadas.” Para Pontes, a universidade prepara o aluno de duas formas: com o conhecimento teórico, e a presença de profissionais como docentes em sala de aula. “Isso estimula o aluno, e o direciona a uma escolha dentro das opções do próprio curso”, esclarece.

Foto: Álvaro Jr.  Universidade investe em ensino, pesquisa e extensão
Foto: Álvaro Jr.
Universidade investe em ensino, pesquisa e extensão

O papel dos docentes dentro da formação de um profissional também é de suma importância, como enfatiza a psicóloga Maria de Fátima. “Tem de estar claro que existe uma hierarquia, como tudo na vida, e isso começa dentro da sala de aula. Dentro da universidade é o professor que levará o aluno ao desenvolvimento pessoal.”

“Nós, docentes, procuramos estar sempre à disposição, porque também queremos a melhor formação para ele”, completa o professor Orandi.

As escolhas do curso e da universidade devem ser feitas com segurança, por isso é importante pesquisar para saber exatamente o objetivo que se pretende atingir.

“A grande diferença de uma Universidade, como a PUC-Campinas, é que você tem três pilares que a sustentam: as atividades de Ensino, de Pesquisa, e de Extensão. Quando falamos em uma formação profissional, podemos dizer que em uma Universidade, você tem uma formação completa”, finaliza o Pró-Reitor de Graduação.

Começaram as inscrições para o Vestibular 2015 da PUC-Campinas

As inscrições para o Vestibular 2015 da PUC-Campinas começaram dia 9 de setembro e terminam no dia 26 de outubro. As provas serão realizadas nos dias 28 e 29 de novembro. No dia 28 (sexta-feira), será aplicada a Prova Específica, destinada aos candidatos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Direito e Medicina. No dia 29 (sábado), os candidatos de todos os cursos oferecidos pela PUC-Campinas, incluindo os candidatos dos cursos anteriormente
citados, farão a Prova Geral.

Para saber mais sobre o vestibular, acesse o portal.