TOME CIÊNCIA: Mês de Setembro

  • Você que está em processo de conclusão de curso de graduação ou pós-graduação e precisa realizar o seu projeto final, já sabe fazer revisão bibliográfica? A revisão bibliográfica é a base que sustenta qualquer pesquisa científica. Por isso, deve-se ficar atento a algumas considerações importantes sobre as revisões de literatura. 1. Saiba aonde quer chegar: estabeleça um “fio condutor”, uma linha de raciocínio que guie a leitura do texto. É importante também a leitura de “livros clássicos” sobre o tema. 2. Selecione as fontes de referência. Consulte fontes de artigos em periódicos científicos, livros, teses, dissertações e resumos em congresso. 3. Escreva de forma clara e objetiva: encontre os pontos de concordância e divergência entre os autores e conte a história da pesquisa. 4. Organize os trabalhos consultados: utilize ferramentas que permitem gerenciar sua coleção de referências bibliográficas (Gerenciadores de Referência). 5. Evite os principais erros, como, por exemplo, fazer uma revisão muito breve, revisão construída em cima de poucos autores ou estudos, não abordar todas as áreas, referências incompletas ou erradas, ausência de uma seção de conclusões que reúna as ideias principais abordadas no texto, má organização do material e interpretação ou adaptação de ideias de outros autores para que elas fiquem parecidas ou reforcem as suas. Para ver o guia com mais detalhes, acesse aqui. 
  • Cuidado! Pode ser plágio! O plágio acadêmico se configura quando o estudante ou pesquisador se apropria dos conceitos, das ideias ou até mesmo das frases do autor que as formulou e não cita esse autor no trabalho, isto é, não lhe dá o crédito. Isso é considerado crime. A prática de plágio é considerada uma violação de direito autoral. Fique atento. Para ter mais informações sobre plágio acadêmico,  clique neste link.
  • Atenção, alunos: No mês de agosto, o Portal Imprensa recebe indicações de professores de todo o Brasil. Para isso,  o projeto encoraja alunos a apontarem professores cujos métodos de ensino tenham sido eficazes durante a graduação em comunicação e que tenham transmitido conteúdo de forma adequada.  Serão válidas as indicações de professores que lecionam nos cursos de Comunicação Social, Jornalismo, Publicidade / Marketing, Relações Públicas e Rádio & TV. Acesse o site do Portal Imprensa e veja os detalhes.
  • PUC-Campinas aprovou o curso de Doutorado em Educação. O programa de Pós-Graduação em Educação, que já contava com o Mestrado, agora está completo e apresenta duas linhas de pesquisa: “Formação de Professores e Práticas Pedagógicas” e “Políticas Públicas em Educação”.  Mais informações no site da PUC-Campinas. 
  • Novo currículo do curso de Jornalismo inclui criação de portal de notícias e obrigatoriedade de estágio. Os ingressantes da faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas de 2016 vão se deparar com um currículo diferente dos de seus veteranos. A resolução partiu do Ministério da Educação (MEC), em setembro de 2013, e a mudança inclui a criação de um portal de notícias, dando maior ênfase na produção do jornalismo transmídia, tendência do mercado. Segundo o diretor do curso, Prof. Me. Lindolfo Alexandre de Souza, é um passo à frente em relação à atual plataforma on-line do curso, o portal Digitais PUC-Campinas. Outra mudança significativa no currículo será o estabelecimento da obrigatoriedade do estágio (mínimo de 200 horas). Será implementada uma nova disciplina chamada “Supervisão de Estágio” que permitirá ao aluno oficializar as horas de estágio com relatórios e acompanhamentos.